2 de julho de 2013

Se o amor tocar, a gente pode dançar... ღ


"O amor é mesmo essa coisa que cresce pra todos os lados, sem limite, sem fronteira. O amor não tem aresta, não tem pausa pro café. O amor não manda recado, não chega na hora e nem liga avisando que está atrasado. O amor não está na vitrine, nem na prateleira, nem na geladeira. O amor quando não encontra espaço, acaba arrancando um pedaço. O amor não chove da nuvem, não nasce com o sol e nem cresce do chão. O amor não chega embrulhado pra presente e nem sempre deixa a gente contente. O amor é poema sem lema, ele mesmo é o tema: oceano onde eu remo e você rema. O amor é a alma batendo palma, pedindo calma. O amor é uma miragem, uma viagem, um redemoinho no caminho, na cadência e com paciência. O amor é quente e aquece a gente. O amor é música pra seguir mais um passo, sem perder o compasso. O amor é melodia que você assovia e arranha no violão. O amor é outono, inverno, primavera e verão. O amor é coração aberto, mas o coração nem sempre é esperto. O amor é um sorriso sem juízo do paraíso. O amor é tudo isso ou nada disso. Você escolhe, recolhe, acolhe esse amor que cresce que nem a pele e você não digere até que ele se revele, você tome mais um gole e ele te assole. E se um dia o amor brotar, a gente ainda pode regar. Se o amor acontecer, ele pode crescer. Se o amor tocar, a gente pode dançar. Pra guardar na memória essa história de luz solar que fez e faz a gente brilhar."

_________Veronica Fantoni


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por borboletar aqui!