27 de fevereiro de 2012

Guardei-me para ti como um segredo
que eu mesma não desvendei:

... há praias na minha ilha que nem andei.

É preciso que me tomes, além do riso e do olhar,
naquilo que não conheço e adivinhei;

É preciso que me ensines a canção do que serei e
me cries com teu gesto que nem sonhei...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por borboletar aqui!