2 de outubro de 2011

"Somos inocentes em pensar, que sentimentos são coisas
 passíveis de serem controladas. Eles simplesmente vêm
e vão, não batem na porta, não pedem licença.
Invadem, machucam, alegram. São imprevisíveis e sua
única regra é a inconstância total.
É irônico que justamente por isso, eles sejam tão perfeitos."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por borboletar aqui!